Utilidades

Notícias



Artigo de Opinião na Info RH



No dia 28 de abril, celebra-se o Dia Mundial da Prevenção e Segurança no Trabalho. Para falar da importância desta data basta apenas relatar a verdade afirmada pela ACT: Em todo o mundo, morrem mais pessoas por acidentes de trabalho do que em todos os conflitos armados juntos. Esta é a realidade mundial. Em Portugal, os acidentes de trabalho tiraram a vida a 135 pessoas em 2014, segundo dados da ACT. A classe operária dos setores da construção e indústria transformadora é a mais afetada, sendo que há registos em todos os setores de atividade.

As empresas como a Kmed Europa nasceram com a missão de prevenir os riscos no local de trabalho. A temática da Segurança não deve, especialmente nesta optica, estar em segundo plano. É da maior importância que os gestores de RH tenham a consciência de que esta vertente do trabalho é fundamental para um melhor desempenho global das pessoas e, por consequência, das empresas. As grandes empresas têm essa consciência e são as mais exigentes. No entanto, a maioria das PME ainda olha para o investimento em Segurança e Saúde dos seus trabalhadores como um mal necessário. A boa notícia é que é aqui que nos queremos posicionar. Na credibilização do setor e na importância do mesmo. Isso faz-se através contratação de técnicos especializados, de médicos credenciados e especializados em Saúde no Trabalho, de possuir clínicas e unidades móveis certificadas, de construir departamentos de formação que criem conteúdos exclusivos e direcionados às necessidades dos clientes e, acima de tudo, de informar e esclarecer. É da maior relevância apostar na certificação dos serviços, qualificando e garantindo a qualidade e valor às empresas que nos consultam. Já não basta afirmar que os serviços de Segurança e Saúde no Trabalho são obrigatórios por lei. O nosso grande objetivo é fazer as empresas nacionais reconhecerem a relevância das empresas com a Kmed Europa, sendo relevante reforçar que a Segurança no Trabalho é feita por técnicos especializados na área, estando tanto os cursos superiores (licenciatura) como as pós-graduações e os cursos profissionais ao nível do 12º ano obrigados a estarem homologados pela ACT (Autoridade para as Condições do Trabalho).

Todas as empresas no ramo estão obrigadas a possuírem nos seus quadros recursos humanos técnicos certificados e qualificados para poderem auditar todas as empresas clientes. Enquanto CEO da Kmed Europa, assumo este compromisso de qualidade e exigência pois este é um compromisso bilateral. Urge que as empresas de SST conheçam também as necessidades das empresas nacionais, em especial das PME, adotando e criando serviços que acrescentem valor. Atualmente, esta é apenas uma das áreas onde podemos atuar, pois o futuro aponta para uma lógica de 360º à volta do cliente. É preciso inovar num mercado que está avaliado em mais de 120 milhões de euros.

Temos, isso sim, de Comunicar a importância e as mais-valias que as empresas do nosso setor podem trazer a todas as outras empresas, de todos os outros setores. Por mais-valia pode considerar-se, por exemplo, a aposta na Formação Profissional dos trabalhadores. A Inovação entra no modo como é dada a Formação aos trabalhadores, em que a aposta no E-learning é cada vez maior e os números da Kmed Europa refletem isso mesmo, onde a faturação da Formação E-Learning já ultrapassou o da Formação Presencial.

Ainda há muito por fazer, sim. Contudo estou certo de que o futuro será mais produtivo, mais responsável e, acima de tudo, mais seguro.